Serzedelo Corrêa, Avenue 293 - Nazaré - Belém/PA

atendimento@vsmweb.com.br

Como Está a Saúde Financeira da Sua Empresa?

My Image

Essa semana ouvi de uma empresária a afirmação de que detestava se envolver com a parte burocrática do seu negócio como realizar controles financeiros, fluxo de caixa, controle de estoques, etc, Achava que era perda de tempo se concentrar nesses detalhes e que era melhor se concentrar nas vendas para fazer crescer o negócio, visto que o mesmo ainda era pequeno!

Mas a pergunta é: sem controles financeiros efetivos, como saber para onde está indo o dinheiro?A saúde financeira de qualquer  negócio, independente do seu tamanho ou segmento de atuação é fundamental para uma gestão com foco e metas e resultados. Não adianta de nada ter um produto ou serviço de qualidade, ter uma marca reconhecida no mercado, prestar um bom atendimento ao cliente, mas não ter o controle financeiro efetivo da empresa.

Planejamento, organização, atenção, dedicação, cuidado, comprometimento e disciplina. Esses são alguns termos que devem fazer parte do dia a dia do setor financeiro de uma empresa. Planejamento para saber o que fazer (foco), organização, atenção e cuidado para saber o que entra e sai de recursos financeiros diariamente, dedicação para manter a consistência dos controles, sem esquecer ou deixar para depois a atualização das informações necessárias para tomadas de decisão com segurança e confiança. E cuidado, comprometimento e disciplina de todas as pessoas envolvidas para que esse trabalho seja realizado sem atrasos ou falhas.

Para ajudar você nessa missão separamos aqui um check list com orientações importantes e fundamentais para manter a saúde financeira da sua empresa ou negócio. Então presta bastante atenção!
 

  1. Separar e classificar os custos e despesas em fixos e variáveis.
  2. Definir uma meta de redução de cada custo para os próximos meses, avaliando as devidas consequências do corte. Dessa forma você passa a ter uma previsão de custos, que deve ser feita mês a mês.
  3. No acompanhamento da meta de redução de custos deve-se fazer a comparação entre o previsto e o realizado e caso a meta não esteja sendo alcançada, verificar as causas e motivos que estão impedindoa realização das metas para fazer os devidos ajustes e correções no plano de ação.
  4. Quando for fazer o planejamento da redução de custos, defina em primeiro lugar aqueles em que é possível ter uma economia sem muita dificuldade e com menor impacto.
  5. Foque, primeiramente, nos custos relacionados ao desperdício de dinheiro. Para cada custo pergunte-se se ele é realmente necessário e se agrega valor para o cliente e para a empresa. Se a resposta for negativa esse custo deve ser eliminado ou ter um redução gradativa até que seja definitivamente eliminado. Isso deve ser feito o mais rápido possível.
  6. Para os custos com valores elevados a atenção deve ser redobrada, porque eles representam uma grande oportunidade de economia quando forem reduzidos ou mesmo eliminados.
  7. Lembre-se! A redução de custos sem critérios pode ser prejudicial para o desenvolvimento de alguma atividade ou para a qualidade na prestação de serviço ou para as vendas da empresa. Portanto quando for fazer o planejamento de redução de custos, verifique e certifique-se de que a qualidade para o cliente não será afetada.


Caso você tenha alguma dificuldade na aplicação de todas essas orientações conte com a nossa ajuda e orientação. Contamos com profissionais de consultoria e assessoria especializada em saúde financeira para empresas. CLIQUE AQUI E FALE COM UM DOS NOSSOS ESPECIALISTAS.